Principais alimentos concentrados utilizados na pecuária leiteira


A alimentação é o item de maior custo dentro do sistema de produção leiteiro, participando com 40 a 60% do custo de produção total. Desta porcentagem, 35 a 45% são relativos aos alimentos concentrados. Quando o preço do leite cai, uma atitude comum dos produtores é reduzir o fornecimento de concentrados ou optar por um concentrado mais barato, na busca por reduzir custos. O que acontece, na maioria das vezes, é que a produção também cai. Assim, o prejuízo aumenta, já que o leite vale mais do que a comida.

Para não entrar neste círculo vicioso, é preciso ter o raciocínio de dieta de máximo lucro, e não de mínimo custo. Ainda assim, é possível economizar no uso de alimentos concentrados, utilizando-os racionalmente. Como?

Conhecendo bem os alimentos: Saber a composição e as propriedades do alimento é importante na decisão de incluí-lo na dieta. A análise, inclusive do preço, deve ser feita com base no percentual de matéria seca que o alimento apresenta. Um alimento barato, mas com baixa quantidade de matéria seca, pode não ser tão barato assim.

Utilizando forragem de boa qualidade e disponibilidade: Quanto melhor a forragem, menor a necessidade de usar concentrados, o que torna a atividade economicamente viável. Uma boa forrageira é aquela que apresenta baixo FDN e boa palatabilidade.

Balanceando as dietas: Para isso, é necessário conhecer as exigências nutricionais dos animais.

Agrupando as categorias por fase de lactação e por produção de leite: Assim, o arraçoamento pode ser diferenciado, por mérito. A pesagem periódica do leite é importante para isso.

Aprofundando no primeiro ponto, a seguir serão apresentadas as propriedades dos principais alimentos concentrados utilizados na alimentação de vacas leiteiras.